Vida Vegetal

Arranjos Foliares

br>>p> Arranjos Foliaresbr> O estudo dos arranjos foliares, ou filotaxi, considera não só a classificação descritiva dos arranjos foliares, mas também teorias relativas à causa de tais arranjos.
A função do arranjo das folhas (filotaxi) é aumentar a capacidade de uma planta de realizar a fotossíntese, posicionando as folhas em tal distância como tomaximizar a área de superfície disponível para interceptar a luz solar. As folhas podem ser ou caulescentes (em caules óbvios) ou acaulescentes (sem caules óbvios).
As plantas floríferas têm três tipos básicos de arranjos: espiral alternada; oposta; e espiralada ou verticilada. A disposição alternada em espiral é geralmente considerada como a condição mais primitiva, sendo as condições opostas e espiraladas derivadas pela supressão do desenvolvimento dos entrenós.

br>Existem duas hipóteses principais relativamente aos processos que regem estes arranjos básicos. A hipótese de campo da filotaxi postula que, como primórdios de folha (células de folha nova) são criados pela planta, uma zona que inibe o crescimento de outros primórdios é estabelecida à sua volta, e não até a ponta de rebento ter crescido para além dessa zona pode ser estabelecido um novo primórdio de folha. A primeira hipótese de espaço disponível postula que novas folhas crescem logo que o rebento da planta tenha crescido o suficiente para lhes dar espaço.
Os vários tipos de arranjos foliares são normalmente uma das características vegetativas mais fáceis de usar para ajudar a identificar plantas vasculares. Isto é especialmente verdade quando a disposição das folhas é combinada com outras características, tais como a presença ou ausência de petíolos ou a qualidade de ser sésseis ou não-sésseis. Outras características incluem a forma das folhas e o aspecto das margens, bases e tipos de apices.
Alternate
p>família da relva (Poaceae)br>

família da relva (Poaceae)

br> folhas dispostas alternadamente produzem uma folha por nó. Estas folhas podem estar em lados alternados do caule (2 classificadas ou disticíneas), num lado do caule (1 classificado ou segundo), ou numa espiral à volta do caule. Se as folhas de 2 graus se sobrepõem, como em algumas orquídeas oncidium e espécies de íris, então são referidas como equitantes.
As folhas dos membros da família das gramíneas (Poaceae) são disticíneas e alternadas. As suas folhas diferem da maioria das outras folhas de plantas vasculares na medida em que normalmente consistem numa bainha tubular dividida que envolve o caule e lâminas mais ou menos lineares mantidas em ângulos rectos em relação ao caule. Têm também uma estrutura pequena, semelhante a uma língua (ligula) na junção da bainha e da lâmina, embora em algumas espécies possa ser obsoleta.

Spiral
Spiral envolve folhas dispostas alternadamente, em que cada nó de caule e folha anexa é ligeiramente rodada a partir dos nós abaixo e acima dele. Se a espiral estiver à direita, é referida como dextrorse; se estiver à esquerda, é referida como sinistrorse.
Opposite
Quando duas folhas ocorrem num nó, o arranjo é chamado oposto. As folhas dispostas de forma oposta podem ser de 2 graus, como na urze mexicana (Cuphea hyssopifolia) na família das henas (Lythraceae), ou de 4 graus ou decussate, em que cada par de folhas sucessoras está em ângulo recto com os pares acima e abaixo deles. A disposição das folhas decussate é característica da família da hortelã (Lamiaceae), da família das aceraceae, e de alguns membros da família das algas leiteiras (Asclepiadaceae), tais como Asclepias viridis.
Whorled ou Verticillate
Quando três ou mais folhas ocorrem num nó, é produzida uma disposição de whorled ou verticillate. Os géneros Galium e Sherardia na família dos mais loucos (Rubiaceae) são caracterizados por folhas espiraladas, assim como a Isotria na família das orquídeas (Orchidaceae).
Rosette
p>carrots (Daucus carota)br>>p>carrots (Daucus carota)br>Rosettes, frequentemente referidas como rosetas basais, ocorrem em plantas acaulescentes, tais como o dente-de-leão comum (Taraxacum officinalis) na família do girassol/aster (Asteraceae). As plantas acaulescentes têm um caule, mas os entrenós estão muito contraídos, e as folhas têm uma disposição alternada em espiral.
Muitas plantas bienais, tais como cenouras (Daucus carota) e cicuta venenosa (Coniummaculatum) na família das cenouras (Apiaceae), produzirão uma roseta basal durante o primeiro ano de crescimento, seguido da produção de um caule com folhas alternadas no segundo ano.
Perfoliar
Uma folha ou um par de folhas fundidas com o caule a atravessar o centro são referidas como perfoliadas. Montia perfoliata e Bupleurum rotundifolium são exemplos da condição de perfoliato derivada de uma única folha.

br>Silphium perfoliatum é um bom exemplo da fusão basal do connate de folhas para alcançar a condição de perfoliato. As folhas superiores de henbit (Lamium amplexicaule) da família da hortelã (Lamiaceae) são sésseis e apertam o caule mas não são realmente fundidas.
Folhas de coníferas
As folhas da maioria das coníferas desenvolveram-se com a necessidade de minimizar a perda de água enquanto maximizam a fotossíntese sob condições relativamente frias e secas (seca fisiológica) onde a água muitas vezes não é facilmente obtida. As folhas semelhantes a agulhas dispostas em divisões secundárias (unilaterais, como um pente) são referidas como pectinato ou em forma de pente.
As folhas em forma de agulhas dispostas em feixes ou fascículos são típicas dos pinheiros e abetos. Nos pinheiros, cada fascículo é composto por duas, três, quatro, cinco, seis, sete, ou oito divisões de agulhas, que formam uma forma mais ou menos cilíndrica se empurradas juntas. Os fascículos são dispostos em espiral nos ramos das árvores.

cedro vermelho oriental (Juniperus virginiana)

br>

cedro vermelho oriental (Juniperus virginiana)

br>No cedro vermelho oriental (Juniperus virginiana), as folhas são reduzidas a escamas minúsculas, que têm um arranjo oposto de decussate, dando a aparência de 4 degraus. As escamas são imbricadas ou sobrepostas, muito parecidas com telhas num telhado.
As folhas do teixo (Taxus) são pontiagudas, achatadas, e estreitas em forma de lança. Estão dispostas em espiral nos ramos, mas quase sempre dão a aparência de serem de duas fileiras.
O mesmo se aplica à madeira vermelha da aurora (Metasequoia) e ao cipreste careca (Taxodium distichum), ambos caducifólios na queda, deixando cair ramos inteiros com as folhas anexas. O podocarpus teixo (Podocarpus macrophylla) na família podocarpus (Podocarpaceae), por outro lado, tem uma disposição espiral óbvia das folhas.