O que é um Homem o’ Guerra Português?

O homem o' português o' war é reconhecido pelo seu flutuador tipo balão.

O homem o’ war português o’ war é reconhecido pelo seu flutuador tipo balão, que pode ser azul, violeta, ou rosa e sobe até seis polegadas acima da linha da água. Crédito da imagem: Elizabeth Condon, National Science Foundation

O homem o’ guerra português, (Physalia physalis) é muitas vezes chamado medusa, mas na realidade é uma espécie de sifonóforo, um grupo de animais que estão intimamente relacionados com medusas. Um sifonóforo é invulgar na medida em que é composto por uma colónia de indivíduos especializados, geneticamente idênticos, chamados zooides – clones – com várias formas e funções, todos trabalhando em conjunto como um só. Cada uma das quatro partes especializadas de um homem de guerra é responsável por uma tarefa específica, tal como flutuar, capturar presas, alimentação e reprodução. Encontrado principalmente em mares tropicais e subtropicais, o homem o’ guerra é impulsionado apenas pelos ventos e correntes oceânicas, e por vezes flutua em legiões de 1.000 ou mais!

Parecendo-se com um navio de guerra português do século XVIII sob plena vela, o homem o’ guerra é reconhecido pelo seu flutuador em forma de balão, que pode ser azul, violeta ou rosa e sobe até seis polegadas acima da linha de água. Abaixo da bóia encontram-se longos fios de tentáculos e pólipos que crescem até uma média de 30 pés e podem estender-se até aos 100 pés. Os tentáculos contêm nematocistos de picadas, cápsulas microscópicas carregadas com tubos enrolados e farpados que libertam veneno capaz de paralisar e matar pequenos peixes e crustáceos. Embora o ferrão do homem da guerra raramente seja mortal para as pessoas, ele dá um murro doloroso e provoca vergões na pele exposta.

Avisar os peixe-barracos: O homem robusto da guerra pode ainda picá-lo mesmo semanas depois de se ter lavado em terra.