Condições e tratamentos cardíacos da infância

Os testes diagnósticos a que o seu filho se submete ajudarão o cardiologista a determinar se um problema está realmente presente e se é um defeito congénito ou uma doença cardíaca.

Defeitos cardíacos congénitos

Os defeitos congénitos são anomalias na formação do coração e/ou dos seus principais vasos sanguíneos. Estes defeitos estão presentes no nascimento em oito de cada 1.000 bebés, mas podem passar despercebidos durante muitos anos. As anomalias variam desde defeitos simples, tais como um pequeno buraco na parede entre duas câmaras cardíacas, até problemas mais complexos. Aqui está uma lista de defeitos cardíacos congénitos comuns:

  • Estenose da Válvula Aórtica (AVS)
  • Defeito do Septo Atrial (ASD)
  • Coarctação da Aorta (CoA)
  • Defeito do Canal Atrioventricular Completo (CAVC)
  • d-Transposição das Grandes Artérias
  • Anomalia de EbsteinSíndrome do Coração Esquerdo Hipoplásicoli>I-Transposição das Grandes Artériasli>Patente Duto Arteriosus (PDA)li>Atresia Pulmonarli>Estenose da Válvula Pulmonar

  • Defeitos do Ventrículo Único
  • Tetralogia de Fallot
  • Total Anomalosa Ligação Venosa Pulmonar (TAPVC)
  • Tricuspid Atresia
  • Truncus Arteriosus
  • Defeito Septal Ventricular (VSD)

Doença do Coração

Doença do Coração em crianças pode ser causada por uma variedade de factores, incluindo infecções virais e anomalias cromossómicas. Muitas vezes, a doença cardíaca desenvolve-se como uma complicação de outras doenças ou condições médicas.

Opções de tratamento

Após o problema do seu filho ter sido diagnosticado, o próximo passo é corrigi-lo. Para algumas crianças, não será necessária qualquer intervenção imediata. Para outras, a cateterização ou cirurgia farmacológica, interventiva ou cirúrgica pode ser o tratamento recomendado.

Medicamentos

  • ACE (Angiotensin-Converting Enzyme) Inibidores – Os inibidores da ECA actuam para relaxar o tom das artérias em todo o corpo, baixando a pressão arterial e reduzindo a carga de trabalho no coração. São úteis no tratamento da insuficiência cardíaca e da tensão arterial elevada. Os medicamentos comummente utilizados nesta classe são captopril, enalapril e lisinopril.
  • Antiarrítmicos – Um grupo de medicamentos utilizados no tratamento de irregularidades do ritmo cardíaco.
  • Beta Blockers – Uma classe de medicamentos utilizados no tratamento de vários distúrbios associados ao sistema circulatório. Estes fármacos diminuem os efeitos da adrenalina e abrandam o ritmo cardíaco, relaxam a pressão nos vasos sanguíneos e diminuem a força das contracções cardíacas. São úteis para tratar a insuficiência cardíaca, tensão arterial elevada e algumas perturbações do ritmo cardíaco. São também utilizados para controlar enxaquecas e desmaios. Este grande grupo inclui propranolol, atenolol e metoprolol.
  • Digoxin – Uma das mais antigas drogas cardíacas, a digoxin (uma forma de digitalis) torna a contracção do músculo cardíaco mais forte e mais eficiente, diminui o ritmo do batimento cardíaco e ajuda a remover fluido extra dos tecidos corporais. É por vezes utilizada para tratar a insuficiência cardíaca e certas arritmias. Lanoxin é um medicamento comum nesta classe.
  • Diuréticos – Nas crianças, os diuréticos são o medicamento mais comummente utilizado para gerir graus leves a moderados de insuficiência cardíaca congestiva. Estes medicamentos ajudam o corpo a ver-se livre de água e sal. Incluídos neste grupo estão furosemida (“Lasix”), bumetanida e espironolactona.

Cateterização Intervencionista

Para muitas crianças com problemas cardíacos, a cirurgia costumava ser a única opção de tratamento. Actualmente, os procedimentos minimamente invasivos, tais como cateterização intervencionista, são frequentemente considerados a primeira escolha no tratamento e realizados rotineiramente em vez da cirurgia. A cateterização intervencionista pode fornecer uma solução permanente para algumas condições ou uma solução a curto prazo para crianças que necessitarão de cirurgia mais tarde.

Diagnóstico vs. Cateterização Intervencionista

Qual é a diferença? Em termos do que o seu filho irá experimentar, e como se irá preparar para o procedimento, há muito pouca, se alguma, diferença entre o diagnóstico e a cateterização intervencionista. Em ambos os procedimentos, cateteres finos e flexíveis são inseridos numa veia ou artéria na zona da virilha e guiados até ao coração.

Os cateteres e stents de balão podem ser utilizados para abrir válvulas ou artérias estreitas. Há também bobinas e dispositivos especiais introduzidos através do cateter, utilizados para tapar vasos sanguíneos indesejados e orifícios na parede entre as câmaras cardíacas.

Tipos de problemas cardíacos resolvidos

Problemas cardíacos congénitos e adquiridos comuns que podem por vezes ser tratados por cateterização intervencionista incluem:

  • Abnormal Collateral Vessels
  • Defeito Septal Atrial (ASD)
  • Estenose Aórtica
  • Carctação da Aorta (CoA)
  • Fístula Arterial Coronária
  • Fenestração de Fontes
  • Duto Arterioso Patente (PDA)
  • li> Estenose Pulmonar Periféricali>Malformação Arteriovenosa Pulmonar (AVM)li> Estenose Pulmonarli>Defeito Septal ventricular (VSD)

Cirurgia do Coração

Para algumas doenças e anomalias cardíacas, o melhor curso de tratamento é a cirurgia. Os procedimentos de cirurgia cardíaca são geralmente classificados como cirurgia de coração fechado ou de coração aberto. O implante de pacemaker é também considerado um procedimento cirúrgico menor.